PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
10 mar 2019

Uiraunense é morta a facadas pelo marido em São Bernardo do Campo


Nayara Justino Lima, de 26 anos, foi morta a facadas pelo marido, Jucélio Alexandre da Silva, 45 anos, na madrugada deste domingo (10), no bairro Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

Segundo a polícia, o crime aconteceu por volta das 5h e só foi descoberto depois de Jucélio ter procurado o irmão para deixar o filho de 2 anos com ele, dizendo que tinha feito uma besteira.

Jucélio Alexandre, sertanejo da Paraíba, natural do distrito de Ramada, município de São Francisco, na região de Sousa.

Natural do município de Uiraúna, Nayara Sousa Lima, tinha 26 anos de idade e foi morta com vários golpes de faca-peixeira, desferidos por Jucélio Alexandre da Silva. O casal vivia há cerca de seis anos e do relacionamento nasceu uma filha de apenas 4 anos de idade.

De acordo com informações repassadas por familiares, o casal teve uma discussão motivada pelo ciúme de Jucélio Alexandre. Em dado instante, ele pegou uma faca e perfurou a vítima até a morte. Em seguida, o acusado foragiu.

Nayara é filha do senhor Pascoal Sousa Lima, conhecido por “Passinho”, morador do Bairro do Retiro, em Uiraúna. Já Jucélio é filho de Dão Alexandre Lopes, da localidade de Ramada, em São Francisco.

O corpo será transladado para cidade de Vieirópolis, onde será sepultado.

Ao Portal Correio, a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo informou que Nayara foi encontrada morta pelo cunhado minutos após o suspeito do crime informar sobre o assassinato.

“O companheiro de Nayara a matou a facadas, pegou a filha do casal e levou a menina para a residência do irmão dele. Lá, ele contou ao irmão que havia matado a esposa e fugiu em seguida”, informou a assessoria.

O irmão chamou a polícia e o corpo da vítima foi encontrado no chão do quarto, ao lado da cama, com ferimentos provocados pelas facadas. Até o começo da noite deste domingo, o marido ainda era procurado pela polícia. A arma foi apreendida pela polícia.

O caso foi registrado como feminicídio no 2º Distrito Policial de São Bernardo do Campo.

Feminicídios

 

O Brasil teve uma ligeira redução no número de mulheres assassinadas em 2018. Mas, ainda assim, os registros de feminicídio cresceram em um ano. É o que mostra um levantamento feito pelo G1 com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

São 4.254 homicídios dolosos de mulheres, uma redução de 6,7% em relação a 2017, quando foram registrados 4.558 assassinatos – a queda é menor, porém, que a registrada se forem contabilizados também os homens.

Houve ainda um aumento no número de registros de feminicídio, ou seja, de casos em que mulheres foram mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero. Foram 1.173 no ano passado, ante 1.047 em 2017.

Em São Paulo, foram registrados 461 homicídios de mulheres em 2018, 9,3% a menos do que em 2017, quando foram registrados 508 casos.

O levantamento, publicado nesta sexta (8), Dia Internacional da Mulher, faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Da Redação com informações do G1 São Paulo 

 

 

Comentários

Nome

E-mail

Comentário