PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
4 dez 2015

Procuradoria do Brasil vai pedir provas contra Del Nero e Teixeira


5660a65b8941fO procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai solicitar à Justiça americana nos próximos dias as provas existentes contra Marco Polo Del Nero, presidente licenciado da CBF, e Ricardo Teixeira, ex-mandatário da entidade. A informação é do Jornal Estado de São Paulo. O objetivo de Janot é avaliar a possibilidade de julgar os cartolas no Brasil, já que não há um acordo de extradição entre os governos brasileiro e americano.

Apesar de existir um projeto em andamento no Congresso, no Brasil ainda não há uma lei para punir os casos de corrupção privada. Ainda que aprovado, os crimes passados não seriam investigados, valendo apenas para as novas investigações. Desta forma, Del Nero e Ricardo Teixeira teriam a chance de escaparem da prisão, desde que não saiam do país. Uma possível saída seria entrar no caso de dimensão de evasão fiscal, algo que dependeria de uma análise dos documentos a serem enviados pela Justiça americana.

E MAIS:
Opinião: “A CBF deveria ser refundada”
Procurador-geral manda recado a envolvidos em escândalo da FIFA

As ligações perigosas de Ricardo Teixeira
Chefe das investigações da Fifa: ‘Um grande dia para o futebol’
Substituto de Del Nero representa interesses da CBF no Congresso
Kfouri agora espera uma ‘Operação Lava-Jato’ no futebol Brasileiro
Del Nero se licencia da CBF e define ‘herdeiro’
Criminalista diz que extradições não ocorrerão
Del Nero e Teixeira entre os 16 indiciados pelos EUA por corrupção
EUA solicitam a prisão de ex-secretário da Conmebol
Na última quinta-feira, Del Nero e Teixeira foram indiciados pelo FBI. Assim como José Maria Marin, o trio é acusado de receber propinas em contratos da Libertadores, Copa do Brasil, Copa América, além de contratos da CBF com a Nike.

Publicidade
O FBI ainda reitera que nomes de outros brasileiros continuam sendo investigados, e que em 2016 novas ordens de prisões e indiciamentos serão feitos. De acordo com o departamento americano, dos 27 cartolas já indiciados, outros 24 de diversos países, inclusive do Brasil, ainda estão na mira da justiça americana.

Comentários

Nome

E-mail

Comentário