PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
9 maio 2019

‘Melhor do que antes’, Luxemburgo é apresentado no Vasco e quer títulos


Novo treinador do Vasco, Vanderlei Luxemburgo foi apresentado oficialmente nesta quarta-feira, em um hotel na zona oeste do Rio de Janeiro. O contrato é válido até o fim do ano, mas o trabalho começará apenas na próxima segunda-feira. Na coletiva, o treinador mostrou-se animado com a possibilidade e afirma que se reciclou durante o tempo que esteve parado.

– Nesse tempo fiz uma reciclagem, uma outra análise. Procurei me adaptar a uma realidade. Fui estudar, entender como estão falando de futebol. Tenho a minha maneira de pensar, mas respeito a nova realidade como um processo moderno. Meu auxiliar está por dentro também. Por mais que eu tentasse mostrar que o futebol já existe há muito tempo, tenho que me adaptar. Fiz uma reciclagem para me adaptar às coisas que acontecem no futebol. Não estava pensando em voltar para o futebol. Surgiu o momento, o telefonema. O futebol está no DNA. Começamos a conversar, falando o que podia fazer, começou a vir um filme na cabeça. Onde você vai, quer ganhar. Ganhar um título no Vasco seria fundamental. A volta está sendo excelente. Dar coletiva, estou feliz de voltar. Melhor do que antes – disse.

Luxemburgo chega ao Vasco com o auxiliar Mauricio Copertino e o preparador físico Antônio Mello. Ele já trabalhou no clube anteriormente como auxiliar de Antônio Lopes.

– É um prazer voltar ao futebol, um grande momento. Poder viver esse ambiente que está no meu DNA, a adrenalina do futebol. Voltar depois de um tempo parado, acompanhei bem as novidades. Já trabalhei no Vasco e sei da grandeza do clube, das necessidades. Minha proposta é trabalhar muito e recuperar a auto estima do clube, todos acreditarem no que vamos fazer. Com certeza vai dar certo. É uma possibilidade boa. Colocaram muito sobre o desafio. É uma oportunidade boa para o Vasco e para mim. Com o que o clube está vivendo há alguns anos, vou colaborar. Quero fazer aquilo que eu gosto e fazer com que o Vasco volte para o caminho de conquistas. Nos últimos tempos não estava muito legal, estava discutindo muito pelo Instagram, canal no Youtube. Não estava muito legal – disse.

Veja outras respostas:

Projeções 

– Esse elenco joga no Vasco, é um grande clube. O jogador quando joga assim tem que saber a responsabilidade e o que pode fazer. Quero que os jogadores acreditem nisso. Se falar que o elenco do Vasco é o melhor, estarei mentindo, mas não é elenco para estar onde está hoje. O torcedor vai perceber que estamos aqui para sair da “zona da confusão”. O jogador tem que mostrar o que ele se propõe a fazer. A primeira coisa é tirar o Vasco dessa situação. Trabalhando aqui, temos que olhar para cima. Nem sempre os melhores elencos são campeões. A grandeza do Vasco propõe que o jogador pense nisso. A responsabilidade é minha, eles têm que entrar em campo e jogar bola. Praticar futebol com alegria. Não tenho dúvida que podemos avançar muito. Só temos o Brasileiro. O torcedor vem sofrendo, precisamos causar alegria. Um trabalho sério, comprometido. O Vasco está oferecendo uma possibilidade de eu voltar a ser o Luxemburgo que foi questionado, realizar o que quero realizar. A grandeza do Vasco me permite pensar grande.

– Os jogadores têm que entender que é esse elenco que temos, mas podemos sair dessa posição que estamos. Preciso fortalecê-los. As contratações ficam mais caras se eu falar. Vou conversar com o presidente. Esse elenco é o que eu tenho e o que eu vim para o Vasco para ter. Vamos analisar as possibilidades e necessidades. Esse grupo trabalhado com empenho, está em uma posição que não deveria estar.

Início de trabalho

Só posso me apresentar a partir de segunda-feira, pois eu já tinha compromissos que já estavam marcados. Não tinha como transferir. Mas no sábado estarei no hotel com os jogadores, mas o Valadares vai para o jogo. A partir de segunda é direto.

Conversas

– Tem muitas notícias que saem. Há umas três semanas falaram que eu estava acertado com o Vasco e não teve conversa. Foi apenas essa semana. Não teve absolutamente nada antes. Antes eu não falei ‘não’ ao Vasco. Quero me tornar um ídolo do Vasco. O Flamengo ficou para trás, só quero falar do Vasco. Quero que a torcida veja um cara que confiaram e que se tornou ídolo.

Experiências

– Idade não quer dizer nada. Coisas que eu fazia há um tempo, hoje eu não tomaria. Os erros, como não levar o Romário às Olimpíadas, discutir com o presidente do Real Madrid no hotel, não repetiria. Me sinto hoje melhor do que era antes. Não tem problema físico ou de atualidade. Acompanho tudo que está acontecendo.

Contratações e diretor de futebol

– Não falo os pontos fracos e fortes aqui, só para os jogadores. Internamente é onde vamos discutir os problemas. Não posso cometer o erro de começar a falar do Vasco agora. Toda sugestão é feita internamente, até para o diretor de futebol. Eu era assistente do Antônio Lopes, um profissional que me deu condição de colocar meu potencial para fora. O ex-jogador de futebol tem que se divorciar para ser treinador. Somos muito próximos, mas tem que se preparar. O tempo que fui assistente foi fundamental. Só não vou misturar o carinho com o profissional.

Fama

– Sempre fui rotulado como o cara que queria ser mandão. Fiz isso antigamente porque queria um crescimento, que fosse um processo natural de qualquer clube. No meu conceito continuo sendo assim, mas trabalhando em conjunto com o diretor de futebol. O Vasco tem os profissionais para trabalhar. É o analista de desempenho e fisiologista passarem informações para trabalhar. Cabe ao técnico cobrar um trabalho de qualidade, pois você quem decide. Não vim para passar tempo, vim para ganhar. Vou fazer o máximo que puder para o Vasco crescer. O futebol brasileiro não permite ainda o contrato longo, ele é feito a cada ano. Vou trabalhar muito até o final do ano e depois discutir. Quero sair da confusão e depois pensar em coisas boas. Não vejo como um desafio, vejo como uma oportunidade de ser campeão. Comecei aqui e vai ser legal terminar aqui e me aposentar em alto nível.

Youtube

– Não gosto da palavra desafio. Se você tem capacidade, não tem que ser desafiado para nada. Você faz pela capacidade. Fui para o Youtube, achei divertido. Posso desenvolver. Se eu parar com o futebol, ativo o canal, faço profissional, acho que é legal. Comprei uma afiliada da Record no Tocantis, acho legal, me preparo para o futuro. Não é desafio, é possibilidade de fazer algo diferente.

 

Fonte: Lance!

Comentários

Nome

E-mail

Comentário