PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
25 set 2016

Inofensivo, São Paulo é castigado pelo Vitória e encosta na zona da degola


A derrota por 2 a 0 para o Vitória na tarde deste domingo foi um perfeito retrato da temporada do São Paulo. Um duelo ideal para aliviar a crise e abrir distância da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, mas que terminou afetado por velhos problemas e os mesmos 34 pontos. E os baianos, que corriam o risco de ficar entre os quatro últimos ao fim da 27ª rodada, conseguem fôlego extra com 32 pontos, contra 31 do 17º colocado Figueirense.

Desde o início do ano, a falta de agressividade e objetividade tem castigado o Tricolor. Um time que pouco incomoda os adversários e, quando consegue criar alguma jogada, desperdiça. As pernas pesam, as cabeças ficam baixas e quando há capricho e coragem há também a trave, como em linda finalização do garoto Luiz Araújo.

O primeiro tempo que pode ser considerado razoável terminou com duas bolas na trave de Denis, concluídas por Zé Love. Ou seja, quando foi bem, foi pior que o – frágil – adversário. O elenco do Vitória não é melhor do que o do São Paulo, por mais que a distância não seja assim tão grande, mas todos parecem crer que é possível superar os paulistas. E dá para duvidar?

Argel Fucks identificou que Diego Renan e Cárdenas estavam mal e os sacou. Percebeu que Marinho renderia mais na esquerda e trocou o posicionamento. Viu o camisa 7 resolver arriscar falta de longe e vibrou com o golaço que contou com a colaboração de Denis. Ricardo Gomes, então, precisava responder. Tirou Mena, que marcava bem a Marinho, e deixou Carlinhos à mercê.57e8282f2804e

Ao colocar Robson, criou a ilusão de uma troca ofensiva, mas que manteve o mesmo esquema e a mesma postura. E tirou a velocidade quando trocou Luiz Araújo por Daniel e Cueva por Gilberto. A falta de ímpeto ganhou a companhia da burocracia. E o emocional entrou em queda livre até Lyanco marcar contra após falta inexistente em Marinho.

O zagueiro promissor chegou a chorar em campo. Os buracos entre as linhas foram crescendo, quem carregava a bola ficava cada vez mais isolado. Há temor em decidir, em chamar a responsabilidade. Rodrigo Caio, como zagueiro, é o melhor do time, mas como decidir sempre? A questão é que é preciso decidir logo. Afinal, já são três pontos para a zona de rebaixamento.

FICHA TÉCNICA:
VITÓRIA 2X0 SÃO PAULO

Local: Barradão, em Salvador (BA)
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Pedro Jorge Santos de Araújo (ambos do AL)
Público/Renda: 5.651 pagantes/11.384 presentes/R$ 189.452
Cartões amarelos: Marcelo, Diego Renan, Zé Love e Vander (VIT); Hudson, Buffarini e Lyanco (SAO)
Gols: Marinho, 7’/2ºT (1-0); Lyanco (contra), 26’/2ºT (2-0)

VITÓRIA: Fernando Miguel, Diogo Matheus, Ramon, Kanu e Diego Renan (Euller – intervalo); Willian Farias, Marcelo e Cárdenas (Tiago Real, 17’/2ºT); Marinho (Vander, 38’/2ºT), Kieza e Zé Love. Técnico: Argel Fucks.

SÃO PAULO: Denis, Buffarini, Lyanco, Rodrigo Caio e Mena (Robson, 12’/2ºT); Hudson, Thiago Mendes, Luiz Araújo (Daniel, 20’/2ºT), Cueva (Gilberto, 38’/2ºT) e Carlinhos; Chavez. Técnico: Ricardo Gomes.

Fonte: Lance!

Comentários

Nome

E-mail

Comentário