PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
25 jan 2015

´Império´: Reginaldo tenta violentar Cora e ela o mata com dois tiros


20150125090013_capaUma tragédia acontecerá na casa de Cora (Marjorie Estiano) na novela Império, da Globo. No capítulo do dia 5, Reginaldo (Flávio Galvão) vai invadir o quarto da megera e tentar tirar sua virgindade. Na hora H, Jurema (Elizângela) flagrará a tentativa de estupro e sairá correndo. Quando for descer a escada do sobrado, ela perderá o equilíbrio e rolará os degraus. Cora surpreenderá o mulherengo com o revólver que ele portava e dará dois tiros certeiros.

Antes de a cena ir ao ar, a vilã falará várias vezes que pretende matar os dois porque eles a escravizarão. Porém, Cora realmente será atacada com violência pelo pai de Otoniel (Ravel Andrade), e Jurema acabará morrendo por acidente. A sequência terminará com Cora andando seminua pelas ruas de Santa Teresa, trêmula, fora de si, e gritando “todos mortos”. Orville (Paulo Rocha) e Xana (Ailton Graça) vão acudi-la. Ela pedirá a presença de Carmem (Ana Carolina Dias), que correrá para o local.

Reginaldo aparecerá tomando pílulas azuis para poder “fazer Cora virar mulher”. “Suas preces foram atendidas… É agora”, dirá ele assim que entrar no quarto dela, que estará dormindo. O mulherengo estará armado com o revólver que era de Fernando (Erom Cordeiro). Ele vai deixar a arma na mesa de cabeceira e começará a acariciar a tia de Cristina (Leandra Leal). “José Alfredo… É você, Zé?”, perguntará Cora, dormindo.

“Finge que é… Está tudo certo”, sussurrará ele, fazendo-a acordar assustada. Ela dará um grito e acordará Jurema (Elizângela), que na hora estará tirando um cochilo no quarto de Cristina.

“Quieta, mulher! Não vê que estou aqui para te fazer um grande favor? Quando eu sair, você já não será mais donzela… E vai poder ir na igreja agradecer a Deus por ter me enviado”, dirá Reginaldo tampando a boca de Cora com as mãos. Ela vai se debater, enquanto ele começará a rasgar suas roupas.

“Isso! Resiste, finge que não quer! Vai ser ainda mais gostoso! Continua, está me deixando doido”, falará ele, que em seguida verá a porta se abrir e Jurema aparecer ali escandalizada. “Jurema? Olhe, mãinha, eu posso explicar…”, exclamará o mulherengo.

“Tu não vale é nada, seu traste! Foi para isso que tu voltou? Para me dar mais esse desgosto? Mas deixa…. Dessa vez, eu não vou passar a mão na tua cabeça. Vou já para casa arrumar tua trouxa e jogar no meio da rua”, gritará Jurema, que sairá do quarto na mesma hora.

Reginaldo vai dar um pulo da cama e ir atrás da mulher. Ele pedirá para ela ter calma. “Uma força me possuiu, foi isso”, alegará.

Acidente

No quarto, Cora vai xingar o mulherengo de desgraçado. “Quis se aproveitar de mim, né? Mas deixa, Deus é grande! Me mostra como destruir esses dois, Senhor! Por favor”, dirá a megera, que baterá o olho na arma e a pegará.

Arrasada, Jurema colocará o pé no primeiro degrau da escada e se voltará para Reginaldo, que gritará seu nome sem parar. “O que tu tem para dizer não me interessa”, afirmará ela. Quando estiver terminando a frase, ela perderá o equilíbrio e vai rolar escada abaixo, caindo no chão da sala, imóvel.

Atrás de Reginaldo, Cora vai falar que se ele der um passo, ela atira. “Você empurrou a coitada. Matou sim, ou foi de empurrão ou de desgosto”, vai disparar a tia de Cristina.

O ex-garimpeiro vai dizer que a mulher tropeçou, mas Cora não dará ouvidos. Ela vai atirar nele duas vezes e acertará os dois tiros. “Senhor, recebe essas duas almas no teu seio”, falará Cora, tomada por uma espécie de transe.

Vizinhança

Xana vai dizer que ouviu tiros e correrá com Naná (Viviane Araújo) e Juju (Cris Viana) para a rua. “Socorro”, gritará Cora muito alto. “Mortos, mortos, todos mortos”, continuará a tia de Cristina, a essa altura já pelas ruas de Santa Teresa. Além de estar com roupas rasgadas, a megera terá nas mãos a arma do crime.

Orville vai tirar o revólver dela. “Chama tua mulher! Preciso de um advogado… Chama agora”, pedirá Cora.

Carmem receberá a ligação do marido e ouvirá Cora diante dos vizinhos antes de chamar a polícia. Em seguida, o público verá os peritos trabalhando no local e a notícia da tragédia se espalhando. Cora vai dizer à polícia que agiu em defesa de sua honra e não será presa.

Fonte: Miséria 

Comentários

Nome

E-mail

Comentário