PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
15 abr 2018

Geraldo Alckmin deixa governo de São Paulo com aprovação de 36%, diz Datafolha


O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), que deixou o comando do estado para disputar a Presidência, foi avaliado com um índice de aprovação de 36%, de acordo com a pesquisa do Instituto Datafolha, publicada pelo jornal Folha de S.Paulo neste domingo (15).

Já os eleitores paulistas que classificaram o governo de Alckmin como ruim ou péssimo representam 22% dos entrevistados, enquanto a maioria, 40% acham o mandato foi regular.

Para compor o levantamento, o Datafolha fez 1.954 entrevistas entre 11 e 13 de abril, em 68 cidades. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.

Segundo a pesquisa, a situação do tucano é pior do que em 2006, quando também renunciou o cargo como governador para lançar sua candidatura ao Palácio do Planalto.

Naquela ocasião, quando ele foi derrotado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a aprovação de Alckmin era de 66% dos eleitores do estado. Apenas 6% achavam que a gestão era péssima ou ruim.

No entanto, a situação não mudou muito do que foi apontado quando foi avaliado em dezembro do ano passado, quando o governo era considerado bom ou ótimo por 34% dos entrevistados e 25% achavam a gestão ruim ou péssima.

Em comparação com 2015, quando a popularidade do tucano despencou em um cenário de crise hídrica e protestos contra reforma do sistema público de educação, houve uma melhora no desempenho deste ano.

Na época, em um ano a avaliação positiva havia caído de 48% para 28% e a reprovação aumentou de 17% para 30%.

Atuação
A pesquisa também questionou aos participantes sobre a atuação do governador no estado de São Paulo. A maioria, 64%, informou que Alckmin fez menos do que o esperado, 22% classificou que a expectativa foi cumprida, enquanto apenas 8% afirmou que a gestão superou as expectativas.

Entre os principais problemas de São Paulo, os entrevistados classificaram ser a saúde e violência. Cada uma das áreas foi mencionada por 24% dos eleitores. Educação, desemprego e corrupção seguiram a lista com 13%, 13% e 4%, respectivamente.

Em relação à renúncia do tucano para disputar as eleições presidenciais deste ano, o resultado foi equilibrado: 47% acharam que ele agiu bem, enquanto 46% condenaram atitude como errada.

Fonte: iG

Comentários

Nome

E-mail

Comentário