PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
29 nov 2015

Estiagem vai manter conta de energia mais cara na Paraíba em 2016


98888888888888888888O consumidor paraibano deverá continuar com uma conta de luz salgada no próximo ano.

A estiagem caminha para cinco anos contínuos no Estado com a previsão de intensificação da seca no Nordeste no próximo ano.

A causa é o fenômeno climático El Niño, que aumenta as chances da manutenção do uso das termelétricas, que onera o custo da geração de energia.

Com isso, o consumidor continuaria pagando um adicional na fatura para custear a geração mais cara de energia.

O consumidor paraibano deverá continuar com uma conta de luz salgada no próximo ano. A estiagem caminha para cinco anos contínuos no Estado com a previsão de intensificação da seca no Nordeste no próximo ano. A causa é o fenômeno climático El Niño, que aumenta as chances da manutenção do uso das termelétricas, que onera o custo da geração de energia. Com isso, o consumidor continuaria pagando um adicional na fatura para custear a geração mais cara de energia.

Atualmente, com a cobrança da bandeira vermelha, os consumidores pagam R$ 4,50 a cada 100 kilowatts­hora e este valor aumenta quando é usada a energia das usinas térmicas, com custo acima de R$ 388 por megawatt­hora.

O impacto do acréscimo pode aumentar a inadimplência no Estado, que este ano já está em 290 mil usuários, que representa 19% das 1,5 milhão de unidades consumidoras. E uma das explicações para essa lista de devedores, além da inflação dos produtos e serviços, foi o incremento no pagamento pelo uso da energia elétrica.

Este ano, a alta da Energisa Paraíba foi de quase 30%, incluindo reajuste tarifário anual (10,79%), bandeira tarifária (15,2%) e reajuste extraordinário (3,8%). Já na Energisa Borborema o acréscimo no bolso das famílias foi de 54%.

Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apontam que, no Nordeste, os reservatórios das hidrelétricas da região estão com 5,2 por cento da capacidade de armazenamento, com nível de 1,5 por cento na represa de Sobradinho. Em Três Marias, há 8,7 por cento da capacidade, e na usina Itaparica, 10,2 por cento.

Se a última térmica ligada tiver custo entre R$ 200 e R$ 388 por megawatt­hora, é acionada a bandeira amarela, que cobra ao consumidor R$ 2,5 extras a cada 100 kilowatts­hora. A bandeira verde, que representa o retorno à tarifação normal, só é acionada quando estiverem desligadas todas as térmicas com custo acima de R$ 200.

Jornal da Paraíba

Comentários

Nome

E-mail

Comentário