PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
17 abr 2018

Escocês diz ter 22 filhos após doar esperma ilegalmente no Facebook


Um homem que anuncia ilegalmente seu esperma no Facebook afirmou já ser pai de 22 crianças por conta do esquema. De acordo com o Daily Mail , o doador, conhecido como Anthony Fletcher, entra em contato com mulheres que querem engravidar mas têm dificuldades, oferece o sêmen gratuitamente e faz a entrega em uma estrada perto de Glasgow, na Escócia.

Segundo Fletcher, mais de 50 mulheres já receberam a doação de esperma em todo o Reino Unido. Para o universitário de 39 anos, não cobrar pelo fluído é uma forma de ajudar mulheres que querem construir uma família própria.

No post onde anuncia a doação, o rapaz escreveu: “sou um doador de espermatozoides ativo e experiente, a poucos quilômetros de Glasgow. Estou disponível para ajudar mais mulheres a engravidar, e fico feliz em doar para mulheres solteiras, casais do mesmo sexo e mulheres em relacionamentos heterossexuais. Deixe sua localização, idade, status de relacionamento e o método de doação que está procurando. Eu não cobro por elas”.

Doação ilegal de esperma no Facebook

Especialistas em saúde explicaram que, por mais que a intenção do rapaz seja carregada de boas intenções, o modo como executa a iniciativa é extremamente perigoso.

Inicialmente, Fletcher considerou realizar doações legais, através de uma clínica, no entanto o direito da criança  conhecer a identidade de seu pai biológico somente após os 18 anos o afastou da ideia, e o levou a realizar anúncios na rede social.

Porém, além de tudo, no Reino Unido, é ilegal distribuir ou adquirir sêmen e óvulos sem uma licença da Autoridade de Fertilização Humana e Embriologia (HFEA).

A especialista em saúde reprodutiva, Doutora Hana Visnova, alertou sobre os perigos de doar esperma no mercado negro, alegando que os casos de doações ilegais estão se tornando cada vez mais comuns, o que aumenta a preocupação sobre a escassez de dados acerca dos  doadores online. “Não ter conhecimento sobre a saúde ou formação do doador é perigoso. Você não está apenas se colocando em risco, como também sua potencial prole”, ressaltou.

 

Fonte: iG

Comentários

Nome

E-mail

Comentário