PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
14 jun 2018

Em dia de abertura da Copa, principal rival de Putin é libertado da cadeia


Em pleno dia da abertura da Copa do Mundo de 2018, quando todas as nações estão de olho no que acontece no país comandado por Vladimir Putin, a Justiça russa decidiu libertar o blogueiro de oposição Alexei Navalny , principal adversário do presidente. Ele estava preso havia 30 dias.

Ao sair da prisão, Navalny ironizou as condições do local onde estava detido, afirmando que a cadeia na Rússia foi transformada em uma “carroça de primeira classe”, com “televisões de LCD”. Segundo o opositor, Vladimir Putin optou por tais ‘reformas na cadeia’ para não “fazer feio ao prender torcedores ingleses bêbados” durante o campeonato de futebol.

Navalny tinha sido detido em maio deste ano e condenado por violações à lei que regulamenta manifestações no país. Isso porque, no dia 5 do mês passado, o opositor convocou e foi o responsável por uma série de protestos contra a posse de Putin em seu quarto mandato presidencial.

Naquela ocasião, mais de mil pessoas foram presas, todas envolvidas no protesto contra o governo russo.

Outros protestos e as eleições de 2018

No ano passado, Navalny convocou uma série de protestos na Rússia e acabou detido em alguns deles. Ele planejava disputar as eleições de 2018, mas acabou impedido pela Justiça de se candidatar por causa de uma condenação a cinco anos de prisão por corrupção.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais do próprio opositor ao governo, em janeiro, é possível ver a confusão no momento em que Navalny é abordado pelos agentes.

Na mesma ocasião, também pelo Twitter, o opositor confirmou que foi preso, mas “que não tem importância”. “Fui à rua Tverskaya. Não fiz isso por mim, mas por vocês e pelo nosso futuro”, escreveu. De acordo com a polícia russa, o líder da oposição de Vladimir Putin provocou agentes do governo para que fosse preso.

* Com informações da Agência Ansa.

 

Comentários

Nome

E-mail

Comentário