PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
16 fev 2018

Cagepa pode ter multa de até R$ 50 mi por soda cáustica no Gramame


A Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba (Cagepa) poderá ser multada em até R$ 50 milhões por conta do vazamento de soda cáustica no Rio Gramame, na cidade de Conde, na Região Metropolitana de João Pessoa. Nessa quinta-feira (15), o Ministério Público Federal (MPF) pediu que a Polícia Federal (PF) investigue e instaure inquérito para verificar o caso.

Em contato com o Portal Correio, o chefe de divisão técnica do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), na Paraíba, Jeandro Guerreiro, disse que desde o último sábado equipes do órgão estão avaliando o caso para identificar os possíveis danos ao rio. Ele informou que ainda o trabalho ainda é realizado nesta sexta-feira (16).

Segundo Jeandro, o procedimento é necessário para definir o valor da multa que será aplicada contra a Cagepa. “Estamos avaliando o tamanho do impacto para definirmos a dosimetria da multa. A depender do que for constatado, a Cagepa pode ser multada entre R$ 1 milhão até R$ 50 milhões”, afirmou.

Jeandro também disse que assim que os laudos forem finalizados serão encaminhados para o Ministério Público Federal (MPF). “Até o momento já constatamos a morte de algumas espécies de peixes e outros pequenos animais, e a mudança no PH da água”, comentou.

Polícia Federal não quis se manifestar

A reportagem tentou ouvir a Polícia Federal, mas a assessoria informou que como as investigações ainda estão no início, o órgão não vai se posicionar sobre o caso por enquanto.

Cagepa também foi acionada

Em contato com o Portal Correio, a assessoria da Cagepa disse ter recebido a notificação da Polícia Federal na manhã desta sexta-feira (16) e já está providenciando um documento com todos os esclarecimentos sobre o acidente para responder o mais rápido possível ao órgão.

Fonte: Portal Correio

Comentários

Nome

E-mail

Comentário