PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
4 set 2017

Bonecas produzidas por detentas de JP são expostas no TJPB


Os produtos artesanais confeccionados pelas detentas do Presídio Feminino Júlia Maranhão, em João Pessoa, serão expostos no hall do Anexo Administrativo do Tribunal de Justiça da Paraíba, desta segunda-feira (4) à quarta (6), em evento aberto ao público. A exposição iniciará, oficialmente, às 16h, no Auditório Alcides Carneiro, pelo presidente do TJPB, desembargador Joás de Brito Pereira Filho.

“É um projeto interessante que dá oportunidade para aquelas presidiárias se ressocializarem. Uma iniciativa de suma importância, que espero que cresça ainda mais”, afirmou o presidente do TJ, Joás de Brito, ao conhecer o Projeto.

A abertura oficial da exposição contará, também, com a presença da juíza auxiliar da Vara de Execução Penal da Capital, Andréa Arcoverde Cavalcanti Vaz, coordenadora do Projeto; da presidente da Associação das Esposas dos Magistrados e Magistradas da Paraíba (Aemp), Ana Lúcia Alencar Pereira, que apoia a iniciativa; e de uma reeducanda, que representará a equipe que trabalha na confecção das bonecas.

178164,362,80,0,0,362,271,0,0,0,0

Há dois anos à frente do Projeto, a juíza Andréa Arcoverde disse que o trabalho está apenas começando: “Já me sinto realizada, mas ainda temos muito o que fazer. Desde quando eu atuava no interior, sempre tive um olhar especial para a execução penal”, ressaltou.

A produção das bonecas se dá com o suporte financeiro disponibilizado pelo Juizado Especial Criminal da Capital e pelo 1ª Juizado Especial Misto de Mangabeira, por meio de transação penal, nos termos da Resolução nº 154, de 13/07/2012, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A arte produzida pelas reeducandas já foi exposta em outros órgãos públicos e eventos, a exemplo da Feira de Artesanato promovida pelo Governo do Estado, no Espaço Cultural, em João Pessoa.

Fonte: Portal Correio 

Comentários