PUBLICIDADES
PUBLICIDADE
  • Facebook do Uirauna.net
  • Twitter do Uirauna.net
  • Canal do youtube do Uirauna.net
  • Instagram do Uirauna.net
  • Whatsapp do Uirauna.net
  • Feed do Uirauna.net
30 dez 2014

Após 3 anos de seca, Paraíba só tem 22% da sua capacidade hídrica


catsQuase 80% da reserva hídrica da Paraíba já se foram nos últimos três anos de estiagem.

O estado – que está com 859.795.738 m3 de água, ou seja, 22,9% da capacidade – produz 240 milhões de m³ por ano, sendo que 39% (93,6 milhões de m³) são desperdiçados.

Desse percentual, 19% (17.784 milhões de m³) poderiam ser recuperados se houver aumento de investimentos financeiros pelo Governo Federal.

Em João Pessoa, 40,63% da água produzida se perdem antes mesmo de chegar ao hidrômetro por conta de vazamentos, roubos (ligações clandestinas) e tubulações antigas. Isso significa que, de cada 10 litros de água tratada, quatro são desperdiçados.

Em Campina Grande, a perda é de 39,01%. Esse volume não inclui o desperdício que acontece nas casas, onde o percentual de perda pode chegar a 50%. Já nas bacias hidrográficas há uma preocupação, pois a reserva hídrica está abaixo de 30% por conta da seca. Para 2015 há uma perspectiva de um inverno regular, o que agrava ainda mais a situação da seca que entre no seu quarto ano consecutivo.

A perda de água na Capital supera a média nacional, de 39%. No ano passado, na Paraíba, dos 223.746 milhões de m³ de água produzidos em 2013, a perda chegou a 39%, conforme a Cagepa. Essa perda, de acordo com o diretor de Planejamento da Cagepa, Ricardo Benevides, pode ser visível ou invisível.

“As perdas visíveis são aquelas que você está andando na rua, vê um vazamento e liga para a Cagepa. São as perdas que ocorrem durante o processo de purificação da água, principalmente no inverso porque a água fica mais escura e é necessário lavar com maior frequência os filtros e o decantador. Há também perdas em algumas adutoras por conta das tubulações”, disse, destacando que, mesmo nas adutoras em que a água recircula, há uma perda de água.

Do Portal Correio

Comentários

Nome

E-mail

Comentário